SÍNDROME DE BURNOUT: Causas, consequências e tratamento.

Esta síndrome foi descrita em 1974 por Freudemberg,  médico americado,  e é definida como um estado de esgotamento físico e mental, cuja causa esta intimamente ligada a vida profissional. A pessoa com esta síndrome apresenta dificuldades de enfrentar a vida e de engajamento. Vale ressaltar que a síndrome  não surge de uma hora para outra, e as causas podem ser as mais diversas possíveis, com consequências desastrosas que necessitam ser avaliadas, dignósticadas e tratadas.

Trabalhar  em um ambiente hóstil e competitivo na esfera profissional com alto  nível de exigência e baixo reconheciemnto pelo trabalho desenvolvido, torna-se um solo fértil para o adoecimento . As pessoas que compõe um sistema Empresarial tem diferentes  personalidades, e assim constroem a personalidade da Empresa. Porém essas pessoas em sua hierarquia profissional exercem sobre as outras um poder de motivar e transformar, ou um clima organizacional quem impossibilita o desenvolvimento dos potenciais existentes, fazendo com que as pessoas passem a se sentir inúteis, exaustas, deprimidas, incompetentes, ineficientes e tentam  dar conta de todas as exigências. Desenvolvem estresse crônico, sem energia e sem vontade. Estando exausto, falta motivação e não vê  a hora de ir embora do trabalho. Apresenta-se  dificuldade de atenção, problemas cognitivos e de memória.

Mas também por sentir que não consegue dar conta das atividades que antes eram fáceis, esse profissional sente-se irritado e começa a ter  problemas interpessoais  e conflitos constantes. A satisfação diminui, ansiedade e  tensão aumentam, está no limite. A Sindrome de Burnout leva ao  isolamento, a pessoa não responde e-mails ou mensagens, nem mesmo as solicitações de trabalho feitas,  e recusando participar em eventos sociais e familiares. Em casos mais graves apresentam a somatização, tais como: doenças cardíacas, gastro intestinais, depressão e ansiedade.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      

Ao apresentar tais sintômas, o importante é reconhecer o problema, compartilhar com chefe e colegas de trabalho que está acontecendo no ambiente de trabalho também é viável. Para  que a empresa possa identificar a fonte do problema, como: a quantidade de trabalho maior que os funcionários possam exercer, falta de progresso real, aumento do trabalho e diminuição na compêtencia. Neste momento, é hora de buscar ajuda profissional, psicológica e médica,  para conseguir entender que necessita parar, tratar e reconectar-se com a vida. Para que a partir do diagnóstico, saiba o quanto é importante tirar férias.

Talvez  a solução seja fazer algumas mudanças. Mudar o ambiente de trabalho é uma opção. Busque um ambiente agradável. Se não for possivel nesta empresa, busque outra. Mude sua  rotina, procure outros projetos que  te traga motivação.  Não fale sim para tudo. Tenha esperança. Leve o relaxamento a sério, faça caminhada, meditação, cultive vida fora do trabalho. Desligue-se do trabalho, coloque um limite em sua vida. Durma o suficiente, reduza as demandas feitas para você, organize-se, e priorize o que deve fazer. Pense e trabalhe o suficiente, Recompense  a si mesmo, tente achar o lado engraçado da vida. O sucesso profissional depende da sua saúde mental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!