Um segredo, vários caminhos…

Dentre os muitos dilemas clínicos no contexto da terapia familiar e de casal, os segredos são, sem dúvida, um tema que requer cuidado e manejo adequado para lidar com as consequências individuais e implicações nos relacionamentos. Para um segredo ser revelado, é importante se criar um solo fértil para o entendimento, aceitação e elaboração que a revelação exige. Na complexidade da afetividade humana o segredo nasce do medo e do amor, oferecendo proteção e causando dor, mas está também disponível para promover um profundo entendimento possibilitando novos caminhos aos envolvidos.

O dia a dia do trabalho do terapeuta familiar ou de casal está repleto de segredos íntimos e profundos da vida individual, conjugal, familiar e de seu ciclo nas mais diversas etapas, associados ao nascimento, aborto, infertilidade, doenças, suicídio, infidelidade, traição, abuso, morte, etc. Os segredos são diversos, assim como os caminhos escolhidos para lidar com eles. Segundo Evan Imber-Black, terapeuta de família, os segredos representam dilemas éticos, que não são resolvidos por meio de “regras” simples. A revelação de certos segredos pode ter um efeito profundamente curativo para indivíduos e relacionamentos, enquanto a revelação de outros pode colocar as pessoas em perigo, particularmente quando estão envolvidas questões de segurança física e psíquica. Além disso, há segredos que têm o potencial para a reconciliação e outros para a divisão, sem garantia de onde se irá chegar, mas sempre carrega em si a possibilidade de crescimento e aprendizagem,

Normalmente, quando o segredo chega ao consultório vem carregado de sintomas e sofrimento emocional que pode se manifestar em somatização. No processo terapêutico com família ou casal, o psicólogo tem como tarefa caminhar ao lado dos envolvidos intervindo e favorecendo a capacidade de cada um para compreender e aceitar emocionalmente os acontecimentos que levaram à inverdade e segredo, além de auxiliar a decidir como e quando este será revelado para que possa levar à libertação e alívio dos que estão emaranhados nessa condição. A gerações atrás, segredos como a adoção, suicídio, virgindade e relações extraconjugais eram tabus intocáveis. Nos dias de hoje há ainda muitos sofrimentos por segredos que demandam grande quantidade de energia para manterem-se secretos e os sentimentos advindos de sua clarificação são muitos e ambíguos, por vezes o desejo do perdão dos demais e em outras vezes, o perdão de si mesmo; a culpa e vergonha, protegidos por onipotência, no entanto é ainda a humildade, generosidade e amor que favorecerão a compreensão e resgate das relações.

O terapeuta sistêmico ao lidar com este tema promoverá a circulação de afetos, entenderá o desejo do detentor do segredo e analisará em sessões individuais as consequências da revelação, assim como nos atendimentos familiares ou de casal pesquisará a consistência das interações preparando o momento propício para a revelação, visando o menor sofrimento psíquico aos envolvidos e trabalhando a capacidade de resiliência. Por fim, há de se entender que os caminhos são muitos, mas a escolha é de cada um.

 

ELISA MARA RIBEIRO DA SILVA
Psicóloga – CRP – 08/03543

NOEMI PAULINA CAPPELLESSO FINKLER
Psicóloga – CRP – 08/03539

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!