SISTEMAS FAMILIARES E SISTEMAS EMPRESARIAIS: UM PARALELO INTERESSANTE!!!!

Muitas vezes quando falamos em empresas familiares, parece que estamos falando de empresas de fundo de quintal, com pouca importância no cenário econômico, porém, de acordo com as pesquisas, as empresas familiares representam 70% da economia do País. Portanto, vale a pena refletir e buscar um entendimento de como funciona este sistema, quais os viéses que podem atrapalhar o crescimento, bem como o que se pode fazer para lidar com os conflitos e as dificuldades de fazer as sucessões necessárias com o passar do tempo. Deste modo, torna-se possível ter como base a visão sistêmica de mundo e de homem, para tentar entender as origens dos conflitos e o manejo para que o processo aconteça quando necessário. Por esta razão, se faz necessário entender como a visão sistêmica compreende o homem, seus vínculos e interdependências.
A visão sistêmica consiste na habilidade em compreender os sistemas, as interligacões e interdependências que compõem o todo, visto que o homem está conectado com outros homens, seja no sistema familiar ou social. Com isso queremos dizer que todos nós somos co-dependentes, para vir a ser filhos, pais ou profissionais e também co-responsáveis. Dentro desta visão, entendemos que todas as coisas estão interligadas e tudo o que cada um fizer ao sistema, está fazendo tambám a si mesmo. O primeiro sistema em que a pessoa está inserida desde que nasce é o sistema familiar, depois o escolar e o profissional. O que ela vive no sistema familiar vai repetir nos outros sistemas que fizer parte. Em cada grupo a pessoa possui um papel e uma função, assim, de acordo com sua orientação e compreensão de seu papel e função será o resultado no estar no mundo.

Para que uma família ou empresa seja funcional, se faz necessário que cada componente pertencente ao sistema desempenhe seu papel, dando o melhor de si e compreendendo as herarquias, os papeis e funções de todos os componentes, respeitando as diferentes formas de ver e agir. Em uma família os pais fazem parte do sistema decisório, por esta razão, são os pais que ao analizarem as ideias dos membros pertencentes a família devem tomar a decisão do que deve ser feito, segundo os valores, as normas e as regras deste sistema. Os pais também possuem a incumbência de passar os valores que embasam esta família, sendo estes valores o alicerce deste grupo. Assim, é essencial conhecer cada filho, entender os sonhos, os desejos e os projetos de cada um para orientar, incentivar ou alertar sobre o que cada atitude pode trazer como resultado para o todo e, consequentemente, para si mesmo. É preciso compreender que ser pai demanda compromisso, dever para toda a vida, pois mesmo um filho não sendo o que sonhamos continuará sendo nosso filho e, consequentemente, nossa responsabilidade. Portanto, é papel dos pais dar base para que o potencial se desenvolva, tendo atitude de orientação, compreensão e amor, mas também de cobrança do que se espera dele naquela idade. Com esta atitude os pais estão dando base para o crescimento de filhos, como de profissionais responsáveis que venham a integrar empresas. O papel da direção de uma empresa é semelhante ao dos pais, ou seja, de compreensão, orienteção e cobrança.

Nas empresas familiares os papeis e funções não podem ser confundidos com os papeis dentro da família. Os cargos nas empresas devem ser ocupados de acordo com o preparo técnico que cada um possui; por esta razão quando os papeis se confundem e os afetos não são amadurecidos, ocorrem conflitos que dificultam a sucessão familiar.
Os pais que possuem uma empresa e dedicam um tempo acompanhando o crescimento dos filhos sendo imparcial, conseguem com mais facilidade direcionar o talento dos mesmos, estabelecendo o perfil mais adequado para cada cargo dentro da empresa. Além disso, podem orientá-los na busca de formação, que venha a contribuir para o sistema, bem como, entender se os filhos possuem outros sonhos e desejos, permitir que alcem voos em outras direções e neste caso busque outros profissionais para ocupar os cargos existentes na Empresa. Se os filhos são criados com espirito competitivo, dentro da empresa cria-se uma situação de conflitos permanentes, pois não existe profissão de filho do dono. Quando o sistema familiar não é funcional o sistema empresarial também não será. Portanto, se sua empresa for familiar é importante compreender a funcionalidade do seu sistema familiar para que possa ter sucesso empresarial e uma sucessão tranquila.

Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Noemi Paulina Cappellesso Finkler
CRP 08/03539

Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Elisa Mara Ribeiro da Silva
CRP 08/03543

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!