PORQUE OS CASAIS SE SEPARAM?

Publicação Revista Versões Ano 9 – Edição 104 – Março/2014

Muito se fala sobre os motivos que levam duas pessoas que decidiram em um dado momento entrelaçar suas vidas em uma proposta de “felizes para sempre” em um tempo não muito distante, decidir pela separação. Os amigos e familiares tentam interferir e algumas vezes achar a razão para o que está acontecendo e com frequência buscam culpados para tais mudanças de destinos.
Como terapeutas de casais, partilhamos muitos destes conflitos em momentos diferentes do casamento como: momento inicial, em que o casal não conseguiu solidificar a união; filhos pequenos, e não conseguiram equilibrar os papéis parentais e conjugal; filhos adolescentes, quando não possibilitaram ou não conseguiram realizar as mudanças necessárias das regras; ninho vazio, não conseguindo fazer um novo olhar para a relação a dois e para os filhos que alçam vôo; velhice, ao não conseguir de forma generosa olhar o outro e a trajetória a dois. Enfim, muitos casais procuram atendimento na fase que estão pensando em separar, ou que já decidiram, e querem ajuda para continuar exercendo os papéis que lhes competem, principalmente de pais, com menos danos possíveis aos filhos. Buscam no terapeuta orientação e acolhimento quanto à decisão a ser tomada. Nesta escuta, percebem-se os casamentos idealizados; as dificuldades de lidar com o que é diferente; o desconhecimento um do outro, de sonhos e planejamento; a dificuldade em lidar com o mundo adulto de responsabilidades e das tarefas necessária a serem assumidas pelos dois. Tudo isso gera um mal estar que poderia ser momentâneo e levaria ao crescimento de ambos, mas que pela falta de diálogo, de uma escuta respeitosa, faz com que os dois não se aprofundem em conhecer um ao outro, não avaliem o que há de bom ou ruim neste relacionamento, sem perceber, sem refletir que apenas sonham. Sonham que irão para um novo relacionamento e tudo será diferente, permanecendo no mesmo ponto: da idealização. Idealização de uma nova relação, de um novo parceiro, sem o esforço e a dor da mudança necessária em si mesmo.
Os relacionamentos são difíceis e exigem empenho para se compreender o outro. Seja relacionamento de trabalho, familiar ou de casal, é preciso entender que quando se entra numa nova relação, se traz padrões de relacionamentos anteriores, carregados de sentimentos, valores, crenças e mitos, que se tem como verdades. Com isso, tenta-se encaixar o relacionamento atual naquele já conhecido, e se perde a oportunidade de conhecer o outro e criar um novo modelo, com a participação dos dois, para que ambos possam ser favorecidos. Devido à complexidade e empenho na relação, os casais pensam que o mais correto é separar-se, porém se as pessoas não conseguiram formar um casal de fato na primeira relação, como irão para a próxima? Frequentemente, vão com o modelo do relacionamento que julgam ter dado errado e passam a fazer comparações, o que aumenta a probabilidade de errar novamente, e assim perdem a esperança de viver um casamento e crescer com ele.
Portanto, nós, terapeutas de casais, acolhemos, apoiamos e conduzimos, no atendimento psicoterápico, o casal para o diálogo e para a compreensão de si e do outro, possibilitando que passem pelas dificuldades e juntos busquem o melhor caminho para dar continuidade a suas vidas, casados ou não, de forma a reduzir os danos a todos os envolvidos, sem desacreditar na possibilidade de crescimento, de comprometimento, e no “ainda feliz para sempre” mesmo com um modelo diferente do vivido até então.

Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Noemi Paulina Cappellesso Finkler
CRP 08/03539

Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Elisa Mara Ribeiro da Silva
CRP 08/03543

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!