O DITO E O NÃO DITO NOS RELACIONAMENTOS.

As adversidades nos relacionamentos estão em grande parte associadas às dificuldades de comunicação, basicamente ao que um diz e ao que o outro entende. Isto ocorre porque as mensagens são decodificadas pelo mundo subjetivo e os juízos de valores que cada um carrega em si. As pessoas ao expressarem o que pensam ou sentem quanto a determinados assuntos estão emitindo crenças, opiniões e vontades de seu mundo subjetivo. Aquele que ouve, que possui um outro jeito de ser, pensar e entender as coisas, irá interpretar a partir de seu próprio mundo a mensagem e o conteúdo enviados, e é esse mecanismo de diferentes interpretações que irá ocasionar os conflitos no universo das relações. A interpretação errônea do que um diz e o outro entende leva a tomadas de decisões muitas vezes precipitadas, tais como: rompimentos de relacionamentos, tristezas, solidão, silêncios que produzem a paralização do crescimento das pessoas e das relações. O comportamento de choro ou a alteração da voz em uma discussão mais acalorada leva com frequência ao desentendimento do que se quer comunicar, pois depende do significado que cada um dá a essas manifestações emotivas. Quando alguém parte do pressuposto que a alteração de voz, choro ou falta de olhar tem o significado de um “cala a boca” quem ouve, diante disso, pode se calar e não mais voltar a falar no assunto. O silêncio produzido e assumido pelos envolvidos cria um código de assuntos proibidos para evitar ter novos conflitos e sensações desprazerosas e afastamentos. Por outro lado, muitas vezes as pessoas, devido a sensação de não terem sido compreendidas, tornam-se repetitivas. Ainda, o fato de não terem recebido a resposta que esperavam segundo sua subjetividade e seu juízo de valores, continuam perguntando e esperando aquela resposta que muitas vezes não vem, ou vem para encerrar o assunto. Em outras situações, as pessoas acreditam que as coisas devem ser feitas seguindo sua experiência, seu conhecimento e seu querer, e esquecem que o outro é diferente de si, e este acaba agindo de acordo com seu próprio ponto de vista. Assim sendo, nas relações surge uma vida insustentável, de conflitos e desavenças, onde cada um acaba se perguntando: será que tem saída? Como se esta fosse unicamente o outro aceitar e agir como se quer e se entende a vida e as relações.
Arriscamos aqui colocar o significado de liberdade e crescimento nas relações. Uma relação que pretende chegar à maturidade necessita a aceitação um do outro que se faz por meio do dito e feito, em um terreno emocional favorável que permita ouvir com atenção para compreender os valores e o mundo subjetivo do outro. No entanto, sabemos que isso não é fácil e por esta razão as pessoas buscam a ajuda de um terapeuta de casal, família ou de grupo para auxiliar na tradução da mensagem que se deseja comunicar, bem como levar cada um conhecer a si mesmo e identificar o que carrega como verdades que dificultam seu crescimento e de suas relações. Então, dizer é importante quando o outro ou outros estão em condições emocionais favoráveis para ouvir e transformar-se com a informação comunicada em um convívio mais livre e maduro, com respeito e empatia.
Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Noemi Paulina Cappellesso Finkler Noemi
CRP 08/03539
Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Elisa Mara Ribeiro da Silva
CRP 08/03543

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!