COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL

No mundo do trabalho ao olhar a nossa volta cada um poderá observar comportamentos que chamam atenção pela imprevisibilidade. As pessoas possuem formas de agir, distorções da realidade e crenças a respeito dos fatos, portanto como termos a certeza de que o que estamos vendo é a realidade ou tão somente a realidade segundo a nossa visão de mundo?
Assim como as pessoas têm uma personalidade, cada Empresa também tem a sua. Cada personalidade pode ser considerada mais ou menos normal, isto é, a pessoa pode ser ou estar mais ou menos saudável. Da mesma forma, as Empresas podem ser consideradas normais se forem produtivas ou anormais quando não apresentam mais a produtividade de antes. Porém, devemos pensar se vamos medir a normalidade da Empresa tão somente pelos resultados financeiros. E ainda questionar como se chega a estes resultados.
Vamos pensar que as pessoas, que são partes integrantes de uma empresa, têm sua personalidade e relaciona-se no mundo do trabalho com outras personalidades e juntas vão produzir um resultado que é o todo deste viver Empresarial. Pensar também no caminho que percorreram assumindo responsabilidade com o senso de pertencer, e ainda com suas dificuldades pessoais e sua subjetividade, e porque não dizer suas desorganizações comportamentais. Logo, como sabemos que as pessoas com desorganizações comportamentais ou mesmo patologias estão fazendo parte das Empresas? Assim sendo, faz-se necessário compreender e interagir com estas questões, pois esconder ou negar a existência de disfunções, não resolve, ao contrário, piora a situação. Portanto, não podemos acobertar as desorganizações comportamentais trazendo tensões para o grupo como um todo, gerando ansiedade e angustia que acompanham os transtornos, e consequentemente, dificuldades ainda mais graves para a equipe.
O colaborador, por não poder falar que não está psicologicamente bem para não ser tachado de louco, sente-se infeliz e faz infeliz quem está ao seu entorno podendo assim acarretar baixa produtividade, dificuldade de relacionamento, clima “pesado”, desfavorável, na equipe. Muitos são os executivos que constatam que para resolver questões técnicas basta seguir procedimentos e buscar informações em manuais, porém o trato com pessoas na construção de equipe, contando com estes transtornos os quais estão presente em muitas pessoas nas organizações, é mais difícil e requer uma dose de sensibilidade para perceber as diferenças de cada um e sabedoria para analisar o que precipita a desconexão. A intervenção a ser feita muitas vezes é o encaminhamento do colaborador para tratamentos psicológicos e médicos que promovam seu bem estar. Este acompanhamento pode ser desenvolvido dentro da Empresa com profissional de psicologia em sincronia com o pessoal de administração para que a Empresa como uma nave decole e seus passageiros tenham o prazer de viajar, compartilhar, desenvolver o senso de pertencimento tão almejado pelas Empresas na atualidade.
Portanto, o foco para que a empresa decole se possa conseguir resultado com pessoas está exatamente em seguir o exemplo do jardineiro: não basta escolher a semente (processo seletivo), e preciso preparar e cuidar do solo e da semente plantada. Este cuidado na Empresa são as políticas internas que devem deixar claras as metas, acompanhando o “clima” e desenvolver seus potenciais, cuidando da saúde de seus colaboradores (por intermédio de cuidados médicos e psicológicos quando necessário) para posteriormente agradecer e colher o fruto produzido (o cumprimento de metas) compartilhando os resultados. Logo, a melhora nas condições de trabalho do colaborador, o saber ouvir seus anseios, proporciona um bem estar geral na organização, fazendo-a “voar” de forma tranqüila depois sua decolagem, para após aterrissar, se reorganizar (suas novas metas) e alçar novos vôos para que com isso todos compartilhem do mesmo sucesso e satisfação.

Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Noemi Paulina Cappellesso Finkler
CRP 08/03539

Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Elisa Mara Ribeiro da Silva
CRP 08/03543

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!