CASAMENTO MADURO , SOMENTE COM MATURIDADE!

Se o casal conseguiu enfrentar todas as adversidades de cada fase que antecedeu a maturidade do casamento, certamente obteve vários ensinamentos que lhe deram maturidade e servirão neste momento de ferramentas para viver bem esta fase do “juntos para sempre” com menos conflitos, mais cumplicidades, maior troca, parceria e compreensão. Porém, como a vida continua e sempre surgirão situações novas, não significa que esta fase será somente de felicidades, e sim de maior certeza de continuidade do relacionamento, pois os dois conheceram um ao outro e agora sabem lidar, com maestria, com adversidades inerentes do casamento.
Já falamos em outros textos sobre as fases do casamento e a particularidade de cada uma delas. Aqui, nesta fase em que os cônjuges adquiriram maturidade tornando a relação também mais madura, encontramos o apego seguro, menos egoísmo, e cada um está mais preocupado em buscar o bem estar dos dois, com apoio e cuidado mútuo. Agora, transitam em uma base mais segura, com maior certeza do amor que nutrem um pelo outro, com a clareza dos projetos que unem os dois e o compromisso de se empenharem para realizar o que sonharam outrora. Viver um casamento maduro requer ainda cuidado, pois se está maduro parece que nada mais precisa ser feito e então, apodrece. A rotina, a mesmice e a falta de criatividade levam o casamento à falência em qualquer fase, inclusive nesta. Os relacionamentos necessitam ser nutridos todos os dias com reconhecimento, carinho e atenção que podem ser vivenciados e demonstrados em pequenas atitudes e dizeres, como: “estava trabalhando e lembrei de você”; “passei no mercado e lembrei que você gosta disso e lhe trouxe”; “você está muito lindo(a) hoje”; “agradeço o cuidado que tem comigo todos os dias”, etc. Com estes comentários e atitudes maduras de cuidado nos sentimos ligados ao outro e o relacionamento continua crescendo. E ainda, o diálogo neste momento passa a fluir mais facilmente e toda essa vivência proporciona ao casal o prazer de estar junto, respeitando o que o outro é, sua individualidade, aquilo que faz com que cada um seja único e possa crescer na relação a dois.
A relação conjugal em qualquer fase precisa continuar crescendo e trazendo prazer e bem estar aos dois. A maturidade advém da disposição e aprendizagem constantes. Com ela é possível entender que a felicidade dos dois acontece quando cada um se dispõe a nutrir esta relação. Respeitando e sendo respeitado em sua individualidade. Portanto, não vamos esperar o tempo para aprender como ser feliz a dois, para entender que aceitar o outro, querer o outro como ele é, demonstrando isso mesmo nas pequenas coisas, é primordial. Assim, se queremos ser “felizes para sempre”, devemos viver desde agora, com maturidade, construindo uma relação de cuidado e respeito, para um futuro promissor. Vamos tentar?

Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Noemi Paulina Cappellesso Finkler
CRP 08/03539

Psicóloga – Terapeuta Familiar e de Casal
Elisa Mara Ribeiro da Silva
CRP 08/03543

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!